Festival do Vale do Café

Pra quem não sabe, o estado do Rio já foi rico em café, e era no Vale do Rio Paraíba do Sul  que os barões do dito cujo se instalavam. 

imgp2544.jpg imgp0023.jpg  tetocapela.jpg

portaigreja.jpg vale-do-cafe-059.jpg imgp0022.jpg imgp0026.jpg

Depois o grãozinho entrou em decadência e sobrou o patrimônio histórico das fazendas, que foi meio espoliado pelos herdeiros falidos de uma época  que se escorava na escravidão.  Bom o café mudou de ares mas agora o turismo é que tá deitando sementinhas na região.  Algumas fazendas investiram pesado em restauração e montaram o circuito de visitação com direito a lanchinhos e até hospedagem em lugares que em outros tempos armazenavam as sacas do ouro negro. 

 vale-do-cafe-022.jpg vale-do-cafe-029.jpg vale-do-cafe-033.jpg vale-do-cafe-040.jpg

Poizé, eis que a harpista Cristina Braga e o violonista Turíbio Santos caíram de amores pela região e resolveram montar um festival de música instrumental, com algumas pitadas de MPB nessas fazendas históricas.  Foi um sucesso, os concertos se espalharam por Vassouras, Mendes, Piraí, Sacra Família e Morro Azul, tomaram as praças e igrejas da cidade e andam movimentando o inverno na serra sul fluminense.

imgp2589.jpg rio-lindo-003.jpg harpa.jpg

Esse ano tocaram por lá a Leila Pinheiro, o Leo Gandelman, o Leo Ortiz, o Arthur Moreira Lima, o Guinga, o Moacyr Luz, o Robertinho Silva, a Nilze Carvalho, o Carlos Malta entre outros.

dsc00456.jpg  vale-do-cafe-079.jpg  vale-do-cafe-007.jpg

Mas o mais bacana do festival são as apresentações do PIM – Projeto de Integração pela Música, um projeto do maestro local Claudio Moreira, que ensina música às crianças carentes da região.  Na primeira foto está o Léo Ortiz tocando violino com um pelotão de micro-violinistas do PIM.  A bateria do meio é formada pelos Pim’s mais crescidinhos.  Esse ano o festival contou ainda com o intercâmbio do Projeto Villa-Lobinhos (foto p& b), que tem a mesma premissa aqui no Rio, vinculado à Escola de Música Villa Lobos.

imgp2565.jpg

Acima a apresentação do Trio da Cidade (Bira, Flávio e PC) numa lindíssima homenagem ao Mílton Nascimento que arrancou lágrimas da platéia da igreja de Morro Azul.

O encerramento do festival acontece na praça principal de Vassouras, com o Cortejo das Tradições, que traz apresentações de Capoeira, Jongo da Serra, Maculelê e Roda de Baianas, todos formados por comunidades da região, num desfile de cores e sons contagiantes.

vale-do-cafe-063.jpg   vale-do-cafe-062.jpg

Portanto, anote na sua agenda de 2008, no final de julho, um programa bacana que não requer avião, apenas casacos, bons ouvidos e gosto por estrada.

    vale-do-cafe-092.jpg     vale-do-cafe-053.jpg

Anúncios

5 Respostas to “Festival do Vale do Café”

  1. Leo Drumond Says:

    Olá. Obrigado pelos seus comentários, hoje resolvi conhecer seu blog e gostei bastante. Valeu também por ter botado o link do Beira de Estrada na sua página. Quanto ao livro, saiba que é o meu objetivo principal, e ano que vem entro com o projeto na lei de incentivo, de modo que só deve sair em 2009.

    Abs,

    Leo – Estradeiro de plantão!

  2. Emília Says:

    Oi, Meilin!
    Adorei o post sobre o Vale do Café, super bucólico, adoro isso.
    Não tinha o teu e-mail então fica aqui o convite para dar uma passadinha no meu blog: criei coragem e coloquei no ar:
    http://aturistaacidental.wordpress.com/
    Queria também pedir permissão para poder te adicionar ao blogroll.
    Um abraço!

  3. Na carona da Meilin: Vassouras « Viaje na Viagem Says:

    […] Meilin é eclética: praticamente emendou o Festival de Jazz de Rio das Ostras com o festival de música erudita (com toques de MPB) do Vale do Café fluminense. E, como se não bastassem as fotos, a Meilin ainda atacou de clipeira, youtubando para […]

  4. Majô Says:

    Meilin, adorei o seu post sobre Vassouras, tá bacanérrimo ! Eu não sabia sobre o festival, e sobre o PIM fiquei encantada. Mais uma boa obra de inclusão pela arte, e que não tem visibilidade para a população. Gostei muito de saber sobre ambos, e vai ficar anotado em minha agenda para ano que vem.
    Esses circuitos por essas fazendas também têm pouca divulgação, mas minha cunhada que mora em Sampa conhece senhoras que vieram em tour direto de lá para essa região.
    Dá orgulho do nosso Rio, né ?
    beijos

  5. GiraMundo com Jorge Bernardes Says:

    Meilin,

    Tô procurando uma fazenda dessas de café nessa região pra a família aqui. Vc conhece alguma?
    A gente vai visitar um amigo em Valença, mas pensamos em nos hospedar numa fazenda-hotel-pousada dessas da região pra ter mais privacidade com o bebê. Conhece algo?

    Qualquer dica vai ajudar bastante, inté breve!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: