La Corsa Romana

Depois de dez dias sublimes passeando em Paris, encerramos nossa viagem com chave de ouro, mas uma chave bem pequenininha, de dois dias em Roma.

Já que o tempo era escasso e as atrações inúmeras, decidimos apelar pra infantaria e conquistar Roma a pé, ou seja, o que passasse na nossa frente seria nossa meta; o que não é difícil, pois a cada esquina romana a gente tropeça num pedacinho de história da humanidade.

Nosso simpático Hotel Astrid, escolhido pelo Venere, não ficava bem na muvuca, mas a uns cinco minutos de ônibus da Piazza Santa Maria del Poppolo, em compensação, o hotel nos brindava com uma bela vista do Rio Tevere logo na Prima Colazione (café da manhã, pros conterrâneos do Paolo Rossi). 

Eu sempre achei que minha estadia em Roma se resumiria a um rodízio entre trattorias (que eu a-mo), qual o quê, mal deu tempo de comer umas alcachofrinhas, que dirá uma vera pizza.  Em compensação, me joguei nos gelatti, com todo frio que estava fazendo lá.

Compramos um bilhete de metrô de três dias somente pra descobrir que o dito cujo fecha às nove da noite!!!!!! Mesmo assim ele foi utilíssimo pra chegar ao Termini (terminal de trens de onde parte o Leonardo Express, trenzinho simpático que nos desovou direto no Aeroporto por módicos vinte eurinhos).  Também servia pra voltar pro hotel quando estávamos exaustas de tanto caminhar.

O primeiro lerê incontornável e ponto de partida da nossa marcha foi o Coliseum

Uau, impressionante mesmo! Mas eu prefiro o Maraca…

      

 

Próxima obrigação: Fontana di Trevi, pra jogar a moedinha

O caminho para o Panteon é mais divertido que o próprio, cheio de detalhes engraçados e/ou curiosos:

Cada janela é de um jeito  A chuva ameaça mas embeleza

Vitrine chiquérrima 

boneca sósia da Verinha  Até os bispos aqui são fashion

Completando o percurso até a Piazza Navona, cuja fonte está em obras e não mereceu meu clique

Admirando o belíssimo (com sotaque italiano) crepúsculo:

E completando a maratona na capital da fashion-peruagem, Piazza di Spagna

A essa altura os pés urravam de dor e o estômago fazia contracanto com eles, tropeçamos num restaurante simpaticíssimo, o Otello alla Concordia , bem turistão, mas muito conveniente

   

(Só consegui fotografar a alcachofra, depois eu virei um bicho faminto que mastigava tudo e não deu tempo de exibir a “pasta”).  Corpo e alma saciados, voltamos pra casa.

Começamos o segundo dia do périplo romano com uma pagação de mico na Boca da Verdade

(ah, mas a foto ficou bunitinha…)

Seguimos com uma looooooooooooooooooooonga caminhada no Trastevere (ou atrás do Rio/fiume Tevere), que rendeu ótimas fotos:

(Téquenfim um legítimo varal italiano!) 

Para completar a seção cultural da caminhada fomos à Praça Santa Maria del Poppolo

em cuja igreja pode-se admirar uma pintura do Caravaggio sem enfrentar quilômetros de turistas nas frente

    

Nessa parte fomos colhidas por uma tempestade que já ameaçava desde a véspera.  Mas nem foi tão ruim, acabamos parando pra comer num horário civilizado, num restaurante escondido num beco ali perto, o Ristorante da Edy (Vicolo del babuino, 4)

A chuva nos obrigou a uma mudança de planos muito proveitosa, voltamos para o hotel e nos engajamos numa excursão noturna DE ÔNIBUS, sem sombra de cansaço, mas as fotos ficaram meio péssimas, uma pena.

Não sei se um roteiro planejado seria tão divertido como o nosso, completamente improvisado, mas já deu pra adorar tudo que eu vi, dando coceira pra voltar e passear com calma por Roma.

ARRIVEDERCI, ROMA…

Anúncios

Tags:

7 Respostas to “La Corsa Romana”

  1. Carmen Says:

    Lindas fotos do Trastevere e do río Tiber e seu reflexo.
    Certo, as roupas das cores em os varales e varandas e algo muito típico mediterráneo.
    Meilín, Roma deu alas do anjo, despois o antes de ver o poderoso Caravaggio???.
    Beijos. Parabéns por as fotos e por as lembranças!!!

  2. Carmen Says:

    Meilín, despois de BCN, os amigos do viajenaviagem van a Roma!!!. Tchau

  3. Emília Says:

    Meilin, que bacana ver post seu aqui! E em Roma, bella.. 🙂
    A sua foto com asas está linda, vai para a galeria junto àquela das arraias em San Andrés, hehe…
    Um beijo!

  4. Dorothy Says:

    Comprei bilhete TAM São Paulo / Maceió sem escalas vôo 3164 de 16 de Julho. Só que a TAM – voadora que mais desrespeita o usuário – cancelou o referido vôo e transferiu todos os passageiros para o vôo 3170 com escala em Salvador e POLTRONAS LIBERADAS. A bagunça foi grande. Muitas brigas e reclamações de todos. E a tripulação mais perdida do que cego em tiroteio sorria com ironia. É o JEITO TAM DE VOAR. Só nos resta esperar a chegada da AZUL. A TAM continua sendo a última opção.

  5. Diogo Says:

    Ai meu Pai do céu, preciso conhecer essa cidade. É uma lacuna na minha vida 🙂

    Bjos e adorei. To mais a fim ainda depois de ver essa tua passagem-relâmpago por lá!!

  6. Nádia Lapa Says:

    Olá!

    Gostaria de te enviar um e mail, mas não achei nenhum “about” aqui no blog que me desse pistas de como posso entrar em contato com você.

    Você poderia responder por aqui mesmo ou enviar um e mail para nadialapa08@gmail.com?

    Obrigada!

  7. tarsischwald Says:

    que BACANA ESSAS FOTOS!!!!!!!
    Deixa eu ver se ganhei na MEGASENA que eu já sei o que fazer com a grana.. perai….

    😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: