Canastrona!

A proposta do meu amigo César parecia interessante:  o Carnaval sem Bumbo na Serra da Canastra.  Uma expedição pela famosa serra até a nascente do Rio São Francisco, com direito a muitas cachoeiras pelo caminho, e realmente, ne-nhum apito, bumbo ou tamborim pela frente.  Teria sido um passeio perfeito, se o carnaval não adiantasse o serviço e caísse no começo de fevereiro.  Ora, qualquer habitante do sudeste sabe que essa é a época das monções, como diz meu guru viajante Riq Freire, ou seja, chove implacavelmente.  Nem toda essa chuva abateu o ânimo dos expedicionários.

Saímos no domingo, pra escapar do êxodo carnavalesco, e tomamos chuva pela frente até a chegada a Passos, já no fim da noite.  Foi um estirão de 700 km a passo lento, cautela mais-que-necessária nas estradas com tempo chuvoso.  Chegamos exaustos, e a cidade me pareceu simpaticíssima, principalmente tendo uma cama limpa e sequinha.

O sacrifício da véspera foi compensado pelo passeio à Cachoeira da Maria Augusta, em São João Batista do Glória. 

O caminho passa pela Serra da Babilônia, que deve ser lindíssima com sol

Serra da Bailônia (baixo)

Serra da Bailônia (baixo)

Serra da Babilônia (alto)

Serra da Babilônia (alto)

O guia que nos levou pelo lamaçal pela estrada era o próprio filho da D. Maria Augusta, o que nos dava segurança pra sambar de carro (é, pelo menos os carros sambaram muuuuito).  Foi praticamente um rally de carnaval

Na trilha da cachoeira, as coisas não estavam melhores:

    

Mas a chegada à cachoeira redimiu todas as dificuldades do caminho

Devo registrar também que na casa da Maria Augusta come-se um feijãozinho caseiro pra vó nenhuma botar defeito, mas a fome e a exaustão eram tão grandes que os “bandeirantes” nem lembraram de fotografar.  Barriguinha cheia, bandeirantes contentes

Nossa avidez por cachoeiras não nos permitiu encerrar o dia SOMENTE com essa cascata maravilhosa da Maria Augusta, tão imponente e gelada.  Ao passar no centro da cidade, resolvemos tomar mais um banho

   

(repare a expressão de terror das crianças)

Parêntesis: as fotos mais bacanas desse post são obra do Alessandro Doutor Alê, que conseguia diferenciar até os tipos de joaninhas das trilhas.

Na terça feira avistamos a serra pela primeira vez, com toda sua imponência.  O nome canastra deve-se à sua forma de cesto ou baú

Esse também é o caminho para a parte baixa da Cachoeira Casca D’Anta, onde a força da água mostra tudo de que é capaz

Observação: imagine isso com sol (foto descaradamente roubada da expedição da Mana, numa época mais adequada)

Mesmo assim , o povo aproveitou a energia impressionante do lugar

 

 

Todo mundo energizadim

Ainda nesse dia nós fomos conhecer a Represa de Furnas, com seu belíssimo lago

Pernoitamos em Vargem Bonita, onde aproveitamos pra fazer umas compritchas e degustar uns produtos típicos da região

 Quarta feira de Cinzas, fim do carnaval, começo do passeio no Parque Nacional da Serra da Canastra, ponto alto da nossa expedição.  A estrada estava muito ruim, o que restringiu um pouco nossos objetivos

 

 

A paisagem é muito bonita, mesmo com chuva.  Aliás, temos que agradecer a São Pedro, pois toda vez que nos aproximávamos de uma cachoeira, ele abria uma nesguinha de sol pra esquentar nosso banho por pelo menos meia horinha, valeu, Pedrão!

   

“Velho Chico, vens de Minas

De onde o oculto do mistério se escondeu..”

 

 Será que o Caetano Veloso já veio aqui? A emoção de chegar até a nascente do Rio São Francisco, guardada pela imagem do santinho só se compara à grandeza da foz do mesmo Rio, lá pras bandas de Penedo – Alagoas. 

 

Como é que aquele fiapinho de água, tão transparente, com peixinhos displicentes nadando de lá pra cá, pode percorrer tantos estados, alimentar tanta gente, movimentar o país? Juro que fiquei com a garganta apertada…e aproveitei pra dar um mergulho, né?

 

Não satisfeitos com toda essa energia, aproveitamos o passeio no Parque e fomos à parte alta da Cachoeira Casca D’Anta. 

A trilha é muito bem sinalizada

A neblina criava uma atmosfera de filme de terror misturada com aventura

Completamente diferente dessa plácida banheirinha fotografada num dia de sol, pela minha sensata irmã

Com a alma lavada em água doce, fomos carinhosamente acolhidos na Pousada Barcelos em São Roque de Minas, pelo próprio Professor Barcelos, que mantém uma biblioteca e uma videoteca muito legal pros hóspedes. 

 

O carinho se revelou também na recepção da Cacau

São Roque é uma cidade muito simpática, pois além do Prof. Barcelos, da Cacau e da turma toda da pousada, tem também a Dona Inês, numa casinha sãofranciscana  😳   Mas que deliçura de jantar!!!   Forno a lenha, comidinha como cada um de nós queria, e toda atenção pra todos nós!

   

Deu problema no final…

Nossa expedição seguiu a rota para a Cachoeira do Cerradão, uma das poucas opções seguras que nos restou diante das chuvas e do perigo de trombas d’água, muito comuns nessa época.  Baideuêi, na véspera tínhamos escutado no Jornal Nacional a notícia de seis pessoas mortas numa cachoeira bem próximas de onde estivemos, em São João Batista do Glória.  O perigo é que o povo começa a beber (!) na beira da cachoeira, vem a chuva e traz a cabeça d’água, não dá tempo nem de pular pra uma outra pedrinha  🙄

Tem que prestar MUITA atenção à trilha:

Tinha uma cobra no caminho…No caminho tinha uma cobra…e era coral!

Se eu soubesse que cobras são surdas, teria gritado muuuito, pra avisar o povo, mas limitei-me a deter meus colegas até a cobra seguir o rumo dela, tranquilamente 😳

Mas o banho super valeu a pena, principalmente a idéia de jirico do nosso Capitão, de subir nadando a correnteza, só pra descer boiando nela.  Se eu não tivesse deixado alguns alvéolos lá, teria sido muito legalll

No último dia da expedição tínhamos programado uma ida ao Paraíso Perdido, mas estava fechado, devido ao perigo de tromba d’água, então tiramos uma fotinha só pra registrar a passagem e seguimos

Mas os santos protetores de Anhangüera não iam deixar nosso último dia tão mixuruca, e nós acabamos parando num lugarzinho leeeendow chamado Lago Azul, com a água mais transparente que encontramos em todos os banhos. 

 

É um “clubinho” na beira da estrada, paga-se para entrar, tem até um passeinho de chalana na Represa dos Peixotos, mas nossa alma aventureira não caberia dentro de um barquinho tão comercial naquele momento.

 Assim, fechamos com chave de ouro nossa Expedição à Serra da Canastra, que mesmo com todos os percalços foi uma aventura deliciosa.  A equipe não poderia ser melhor: o bom humor sempre esteve presente; a contribuição de cada um para que tudo desse certo, a experiência de convivermos em harmonia mesmo sendo tão diferentes e aprendermos tanto uns com os outros, na balsa de Passos, na volta, me fizeram lembrar de um poema de um grego de nome complicado (Konstantinos Kavafis)

Viagem à Ítaca

Quando começares tua viagem a Ítaca
pede que o caminho seja longo,
cheio de aventuras, cheio de experiências.
Não temas aos lestrigões nem aos ciclopes,
nem ao colérico Possêidon,
tais seres jamais acharás em teu caminho,
se teu pensar for elevado, se seleta
for a emoção que toca teu espírito e teu corpo.
Nem aos lestrigões nem aos ciclopes
nem ao selvagem Possêidon encontrarás
se não os levares dentro de tua alma,
se não os ergue tua alma diante de ti.
Pede que o caminho seja longo.
Que sejam muitas as manhãs de verão
em que chegues – com que prazer e alegria!-
a portos antes nunca vistos.
Detém-te nos empórios de Fenícia
e mostra-te com belas mercadorias,
nácar e coral, âmbar e ébano
e toda sorte de perfumes voluptuosos,
quanto mais abundantes perfumes voluptuosos possas.
Veja muitas cidades egípcias
a aprender, a aprender de seus sábios.
Tenha sempre Ítaca em teu pensamento.
Tua chegada ali é teu destino.
Mas não apresses nunca a viagem.
Melhor que dure muitos anos
E atracar, velho já, na ilha,
Enriquecido de quanto ganhaste no caminho
Sem esperar que Ítaca te enriqueça.
Ítaca te ofereceu tão bonita viagem.
Sem ela não haverias começado o caminho.
Mas já não tem nada a dar-te.
Ainda que as ache pobre, Ítaca não te enganou.
Assim, sábio como te tornaste, com tanta experiência,
Entenderás já o que significam as Ítacas.
 

 

 

 

 

 

 

Companheiros, obrigada por tudo!

Obs.: Se quiser fazer uma viagem mais séria à Canastra, consulte o blog da Emília, ela tem tooodas as informações necessárias, além de fotos lindas de lá.

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

31 Respostas to “Canastrona!”

  1. Liciana Says:

    Meilin, morro de vontade de ir pra esse lugar e pra Serra do Espinhaço. Aliás, morro de vontade de ir a muitos lugares.
    Mas vcs são muito bem dispostos!
    Curiosidade: não entendi as fotos do Alessandro ( Dr. Alê). Como assim? É o próprio? Às vezes eu fico um tempo sem ler todos os comentários dos blogs e perco coisas e outras tantas fico pensando em pessoas que escreviam sempre e parece que de repente somem. O Alê é uma delas. Me conta essa história.

    Bj / Liciana

  2. Meilin Says:

    Não, Liciana, esse Dr. Alê aqui é o Alessandro Said, dentista e grande fotógrafo, apesar da pouca idade. Nós fizemos um encontro depois do carnaval pra trocar fotos, e ele tinha dado um tratamento especial às minhas fotos também, por isso as minhas fotos aparecem com uma assinatura, as aoutras são dele. Aliás, tem muitas fotos dele que estão ótimas. Se eu não estivesse “de mal” com o flickr, divulgava o link. Tes espero aqui no Rio na gande conVnVenção! Dessa vez a gente se vê 😉

  3. Majô Says:

    Meilin, que viagem maravilhosa fiz agora 🙂 Adooooro um banho de cachoeira, saio zerada cheia de energia, os últimos foram em Visconde de Mauá.
    Essa região é linda e não conheço nada. Bela viagem você fez !

  4. Carmen Says:

    Meilin, vaya aventura! O lugar é lindo!!! Muito lindo…

    Esse viagem é uma verdadeira aventura, um contato autêntico com a natureza mais pura!!! A Serra da Canastra é uma beleza e a Cachoeira do Cerradâo é impressionante. Um viagem cheio da surpresas.
    Um grande abraço.

  5. Meilin Says:

    Pena que choveu taaaanto, né Majô?
    Si, Carmen, aqui tem uma música do Mílton Nascimento que diz “O Brasil não é só litoral”, tem muita coisa bacana pra ver no interior também. Bjins

  6. beto Says:

    bonito poema gostei

  7. Meilin Says:

    Poizé, Beto, eu li no jornal (de papel) há muitos anos, lembrei durante a viagem, e graças à wikipédia, pude publicá-lo, na íntegra.

  8. Paula* Says:

    Nossa Meilin, que aventura!
    Adorei!
    Fotos Lindas!!!!
    Ai…que MEDA da cobra 😦

  9. Meilin Says:

    Obrigada, Paula* 🙂
    Mas não esquente com a cobra não, se a gente não ameaça ela, ela nem se abala com a nossa presença. O problema é o que ELA considera ameaça, né? Bjs :mrgreen:

  10. Emília Says:

    Oi, Meilin!
    Delícia de viagem, divertidíssima! Bacana ter um grupo de amigos para fazer esse tipo de viagem, sinto saudades do meu, já que agora viajamos juntos mais raramente…
    A chuva atrapalha um pouco mas em compensação deixa as cachoeiras mais volumosas…a da Maria Augusta é impressionante, linda.
    Aliás, tudo é maravilhoso mesmo: a Casca d’Anta, Furnas, a nascente…e a do Cerradão é tudibom! Vai ficar anotada para a próxima 😉
    PS1: Obrigada pela lembrança da Turista!
    PS2: Lindíssimo poema, me tocou muito, mais ainda por ter voltado há tão pouco tempo da Grécia e sua(s) história(s) maravilhosas…

  11. Meilin Says:

    Emília, tô aqui devorando suas lembranças de viagem. Quero mais 😉

  12. NÃO SOMOS APENAS ROSTINHOS BONITOS Says:

    DEMAIS ESSAS IMAGENS!

  13. Regina Says:

    Oi Meilin, recebi seu mail, te respondi mas o bloqueador de spam da aol nao deixa passar e nao consigo habilitar. Tentarei de novo, mas desde aqui muito obrigado pela info sobre o carnaval que voce me enviou. Se voce puder registra meu mail e assim podemos trocar figurinhas por correio.
    Um beijao e de novo muchas gracias…

  14. Meilin Says:

    Oi, Regina, já recebi seu email. Se precisar de qq coisa por aqui, me avise, tô às ordens. Bjins

  15. Mari Campos Says:

    Meilin querida, suas fotos estão se superando cada vez mais!!! Lindas, lindas! Pirei naquela do jipe cheio de barro! 😆
    E ainda por cima com a “narração” super divertida! 😉
    parabéns e beijos com saudades de vc e da cidade maravilhosa :mrgreen:

  16. Meilin Says:

    Brigadinha, Mari, realmente a expedição foi uma “farra”, com todos os percalços. Espero voltar lá numa outra época, com bastante sol 😎

  17. CarlaZ Says:

    Meilin,
    tenho uma perguntinha e pensei em você para me ajudar…
    Voltei de viagem com essas idéias de fazer trilha e tal e queria saber aqui no Rio o que dá para fazer tranquilo. Trilhas marcadas que não precise de guia e segura.
    Beijo

  18. Meilin Says:

    Oi, CarlaZ,
    Aqui na Cidade Maravilhosa, nós temos a Floresta da Tijuca, que (dizem) tá su-per-bem-si-na-li-za-da. Lá tem três opções: o Parque da Tijuca, a área do Corcovado e o caminho da Pedra da Gávea. Tem também a trilha da Pedra Branca (não conheço), e lá em Guaratiba, a trilha pras Praias da Tartaturuga e do Perigosinho.
    Na região de Friburgo tem o Parque dos Três Picos
    No Parque da Serra dos Órgãos, tem a belíssima travessia Petrópolis-Teresópolis.
    O Parque do Itatiaia também tem uma trilha bacana.
    Em Casimiro de Abreu tem as regiões de Lumiar, São Pedro da Serra, Sana e Macaé de Cima, pra botina nehuma botar defeito,
    e por fim , a descida de Cunha a Parati pela trilha, que também é de tirar o fôlego. Faça alguma delas e depois venha me contar, ok? Beijins

  19. CarlaZ Says:

    Nossa Meilin, fui na pessoa certa!!! Dicas todas anotadas!!!
    Mas me falaram pra não tentar fazer sozinha (eu e meu namorado) por causa de assaltos. Fiquei arrasada. Estou pensando em me juntar com algum grupo…

    Obrigadão

    Beijos

  20. Meilin Says:

    Carla, foi o meu amigo César, que é sargento do Corpo de Bombeiros e é especializado em resgate na floresta que me passou todas essas dicas boas, pode agradecer à ele lá no azimuth.tur.br 😉 Se você se animar muuuito mesmo, pode até montar uma expedição com ele. Ele te leva em absoluta segurança e muita diversão.

  21. Rui Lopes Says:

    Um português a atravessar a América de sul a norte durante mais de 2 anos

    http://viajardemoto.blogspot.com/

  22. Carmen Says:

    Feliz 2009!!! e muitos bons viagens por terra e por mar! (culturales, também…ah! e com o corpo de bombeiros, ademais)

  23. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens Says:

    MEILIN, quero desejar a você um novo ano que lhe traga tudo de bom que vc merece e que seus sonhos possíveis sejam realizados.

    asseguro a você que foi um privilégio nosso encontro de ontem aqui no Rio de Janeiro com a Majô e a Maria Lina. Um privilégio e momentos bons demais.

    Abraçco,
    Arnaldo e Alice

  24. Arthur Says:

    Meilin,
    Obrigado pelos votos de Feliz 2009, e também especialmente por termos nos conhecido em 2007 e pelas convenções VNV desse ano de 2008 na Lagoa e no CCC!
    Um grande abraço a vc e FELIZ 2009 com tudo de bom!!!!
    Arthur

  25. PALOMA Says:

    EU QUERO FOTOS DE COBRAS DE TODAS AS ESPECE PORQUE EU PRESISSO PARA A FERA DE CIENCIAS QUE E DIA 20 DE MAIU????

  26. PALOMA Says:

    QUEM E VCS???? O QUE QUEREM DE MIM???FELIS 2009 PARA VCS!!!!!!!!”XAU”!!!!!!!!!!!!!!!

  27. Milene Reis Says:

    Oi Meilin, somos uma empresa que presta serviços de editoração eletrônica e fomos contratados pela Vereda Editora, com sede em BH para a produção de um livro do SESI – Cultura Geral, onde o mesmo trata entre outros assuntos sobre as paisagens e recursos naturais de MG. Pesquisando imagens no Google, vimos esta foto da represa de Furnas, a Editora não possui verba para compra de imagens e por este motivo gostaria de saber se seria possível a autorização para o uso desta foto no livro que estamos produzindo, em caso afirmativo colocaremos abaixo da imagem o site onde a mesma está hospedada e o nome do autor/fotógrafo.

    Aguardo seu retorno e desde já agradeço pela atenção dispensada.

    Milene Reis
    31. 8681-6066
    31. 3403-1105

  28. Meilin Says:

    Sem problemas, Milene, pode publicar a foto, desde que seja dado o crédito com meu nome e o nome do blog, Pergaminho Eletrônico. Abssss, Meilin

  29. Serra da Canastra ... muita natureza e calmaria em um só lugar!!! Says:

    […] Mas isso não impede da galera descer e curtir o verão, natal, ano novo e carnaval na lama , veja o exemplo da Meilin […]

  30. Serra da Canastra em Minas GeraisViajoteca – Blog de Viagens Says:

    […] Mas isso não impede da galera descer e curtir o verão, natal, ano novo e carnaval na lama , veja o exemplo da Meilin […]

  31. Keli Cistina Alves de Almeida Says:

    Amo cachoeiras qdo chego conhecer algumas,tenho vontade de ir no topo dela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: